quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Projeto: Roda viva de leitura

Professora regente - Maria do Carmo Fernandes da Silva e professoras colaboradoras - Iara Pereira da Silva e Édla Gonçalves Lopes dos Santos (STE)

Escola Estadual Romalino Alves de Albres.

Palavras-chaves: Leitura, Lúdico, Conhecimento.

























A leitura deve estar presente no nosso cotidiano, o ato de ler faz com que o leitor se encante se sensibilize e se transporte para um mundo imaginário. Por isso é importante que a criança tenha contato com a história desde pequena, o que vai lhe proporcionar o gosto pela leitura. Assim, este projeto está sendo desenvolvido com os alunos do 1º ano A e do 1º ano B do Ensino Fundamental, na área de Língua Portuguesa. A escolha pelo projeto se deu pelo fato da escola estar inserida em uma comunidade com um grau de vulnerabilidade relevante, e, muitos não têm acesso a livros por pertencerem a famílias com um nível de escolaridade muito baixo. A escola tem se esforçado na busca de recursos que possam mudar esta realidade. Assim este projeto tem como objetivos: incentivar a leitura na fase inicial da escolarização; sensibilizar o ouvinte; estimular o seu imaginário; buscar formar leitores competentes, seguros, e capazes de se posicionar diante de seu pensamento e idéias com autonomia. Tem como metodologia a construção do conhecimento de forma lúdica e prazerosa. Para a realização do projeto dispomos dos seguintes recursos: Data show, os contos de Monteiro Lobato, roupas para caracterização dos personagens, isopor para construção do painel do sítio em sala de aula, construção das sacolinhas, textos xerocopiados, câmera fotográfica e filmadora para o registro das ações. Apesar de o projeto estar em andamento, já estamos colhendo frutos deste trabalho, quando observamos o fascínio das crianças e sua expectativa em descobrir o desenrolar dos contos de Monteiro Lobato, fazendo assim a interação da ficção coma realidade da sala de aula.

Referências:
Proposta pedagógica da Escola Estadual Romalino Alves de Albres
Coletânea de Monteiro lobato
BUSSATO, Cléo.Contar e encantar: Petrópolis, RJ: 2003.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010


O que é Folclore

Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.

As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.
Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.

Algumas lendas, mitos e contos folclóricos do Brasil:

Boitatá
Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como "fogo que corre".

Boto
Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.

Curupira
Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.

Lobisomem
Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo nas noites de lua cheia. Nestas noites, o lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo.

Mãe-D'água
Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas.

Corpo-seco
É uma espécie de assombração que fica assustando as pessoas nas estradas. Em vida, era um homem que foi muito malvado e só pensava em fazer coisas ruins, chegando a prejudicar e maltratar a própria mãe. Após sua morte, foi rejeitado pela terra e teve que viver como uma alma penada.

Pisadeira
É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar. Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.

Mula-sem-cabeça
Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre. Como castigo, em todas as noites de quinta para sexta-feira é transformada num animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelas narinas.

Mãe-de-ouro
Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro. Também aparece em alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita que habita cavernas e após atrair homens casados, os faz largar suas famílias.

Saci-Pererê
O saci-pererê é representado por um menino negro que tem apenas uma perna. Sempre com seu cachimbo e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos, queimar comida e acordar pessoas com gargalhadas.

Curiosidades:
- É comemorado com eventos e festas, no dia 22 de Agosto, aqui no Brasil, o Dia do Folclore.

- Em 2005, foi criado do Dia do Saci, que deve ser comemorado em 31 de outubro. Festas folclóricas ocorrem nesta data em homenagem a este personagem. A data, recém criada, concorre com a forte influência norte-americana em nossa cultura, representanda pela festa do Halloween - Dia das Bruxas.

- Muitas festas populares, que ocorrem no mês de Agosto, possuem temas folclóricos como destaque e também fazem parte da cultura popular.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Obras Literárias



Diversos clássicos da literatura para que você possa ler e crescer.


Menina-Mulher




Meninas...
Transformando-se em adolescentes...
Chegando ao limiar da juventude...
... é chegado o momento de deixar para trás a infância ainda tão próxima e preparar-se para novas responsabilidades, novas descobertas, novas emoções. Este dia do seu aniversário, é mais um na sua existência o qual fará você perceber o quanto já viveu e aprendeu e o quanto ainda falta aprender, durante todo o tempo que resta da sua vida terrena. Ame verdadeiramente a si mesma, valorizando-se em todos os sentidos, tente fortalecer sua mente através de boas leituras, boas amizades, navegando em águas tranqüilas e se fortalecendo para enfrentar as águas turbulentas, sem se deixar ferir. Olha menina-mulher! Reserve momentos para ficar consigo mesma, para o seu crescimento e fortalecimento interno. Isto é muito bom! Fortalece a nossa individualidade e auto-estima para enfrentarmos os altos e baixos da vida e nos mantermos em equilíbrio. Guie seu caminho em direção a uma paz interna, só assim você estará fortalecida contra toda a violência externa. Se você estiver bem consigo mesma, nada de ruim externamente a atingirá. Sendo perseverante, observadora e perspicaz, conseguirá perceber, de forma sensata, tudo aquilo que á levará a encontrar melhores soluções para os problemas da vida, e que a cada dia do seu aniversário você consiga lembrar as boas experiências que passou, preservando-as sempre, e apagar as ruins e se sentir plenamente feliz. ISSO É POSSÍVEL E VALE A PENA!
Confie em Deus, e deixe-o guia-la pela mão.
PARABÉNS!!!

Mapa do Brasil: Quebra-cabeça


Atividade prática


Siga o link e descubra como montar o mapa do Brasil.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Mãe


Parabéns a todas as Mamães!

Que Deus as abençoe.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Arte Rupestre - 6º ano

video

DISCIPLINA: Artes – 6º ano do Ensino Fundamental
CONTEÚDO:
· Arte na Pré-História Brasileira
OBJETIVOS:
· Analisar a arte como fato histórico;
· Conhecer e interpretar a arte rupestre da Serra da Capivara-PI;
PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:
· Estudar e interpretar a arte na pré-história brasileira, através de textos, imagens e vídeos, encontrados na Internet e que retratam o assunto.
· Retratar a arte rupetre encontrada na Serra da Capivara – PI , no caderno fazendo a releitura da gravuras;
· Reproduzir a arte rupestre em rochas trazidas pelos alunos.

ARTE NA PRÉ-HISTÓRIA

Arte rupestre, pintura rupestre ou ainda gravura rupestre, é o nome que se dá às mais antigas representações pictóricas conhecidas, as mais antigas datadas do período Paleolítico Superior (40.000 a.C.) gravadas em abrigos ou cavernas, em suas paredes e tetos rochosos, ou também em superfícies rochosas ao ar livre, mas em lugares protegidos, normalmente datando de épocas pré-históricas.
Na vida do Homem pré-histórico tinham lugar a Arte e o espírito de conservação daquilo de que necessitava. Estudos arqueológicos demonstram que o Homem da Pré-História (a fase da História que precede a escrita) já conservava, além de cerâmicas, armas e utensílios trabalhados na pedra, nos ossos dos animais que abatiam e no metal. Arqueólogos e antropólogos datando e estudando peças extraídas em escavações conferem a estes vestígios seu real valor como "documentos históricos", verdadeiros testemunhos da vida do Homem em tempos remotos e de culturas extintas.


Qualquer que seja a justificativa, a arte preservada por milênios permitiu que as grutas pré-históricas se transformassem nos primeiros museus da humanidade.



Arte Rupestre - Arte Primitiva


Há milhares de anos os povos antigos já se manifestavam artisticamente. Embora ainda não conhecessem a escrita, eles eram capazes de produzir obras de arte.

Características principais

O homem pré-histórico era capaz de se expressar artisticamente através dos desenhos que fazia nas paredes de suas cavernas. Suas pinturas mostravam os animais e pessoas do período em que vivia, além de cenas de seu cotidiano. Expressava-se também através de suas esculturas em madeira, osso e pedra. O estudo desta forma de expressão contribui com os conhecimentos que os cientistas têm a respeito do dia a dia dos povos antigos.
Além da arte pré-histórica vista no parágrafo acima, há um outro tipo de arte primitiva: a realizada pelos índios e outros povos que habitavam a América antes da chegada de Cristóvão Colombo. Os povos: maias, astecas e incas são representantes da arte pré-colombiana. A história destes povos é contada através de sua arte (pinturas, esculturas e templos grandiosos, construídos com pedras ou materiais preciosos). Nos dias de hoje também é possível encontrar arte primitiva; alguns exemplos são as máscaras para rituais, esculturas e pinturas que são feitas pelos negros africanos. Há ainda a arte primitiva entre os nativos da Oceania e também entre os índios americanos, que fazem objetos de arte primitivos muito apreciados entre os povos atuais.

Locais com pinturas rupestres no Brasil:
- Parque Nacional da Serra da Capivara em São Raimundo Nonato (Piauí)- Parque Nacional Sete Cidades (Piauí)- Cariris Velhos (Paraíba)- Lagoa Santa (Minas Gerais)- Rondonópolis (Mato Grosso)- Peruaçu (Minas Gerais)











A característica cultural mais importante dos grupos pré-históricos que ocuparam a região foi o desenvolvimento de um sistema de comunicação de caráter narrativo. As pinturas do parque apresentam uma variedade de temas e uma grande riqueza estética. São cenas do cotidiano que sugerem caçadas, danças, práticas sexuais e manifestações rituais.

Conjuntos gráficos com impressionante força narrativa de fatos cotidianos, como a caçada. Com grande movimentação, caçadores capturam suas presas pela cauda, enquanto outros preparam-se para abatê-las a golpes do que parecem ser bastões de madeira.
Série de figuras enfileiradas: algumas humanas, outras aparentemente humanas, adornadas com vestimentas que cobrem todo o corpo. Sugere tratar-se de uma cena cerimonial.
Figuras são detalhes de uma cena mais ampla: a caçada de um tatu. O tamanho do animal em relação à figura humana sugere a possibilidade de se tratar de um tatu gigante – o Pampatherium humboldti –, animal extinto por volta de 10 mil anos.
As aves da região também povoavam as pinturas rupestres. A cena retrata em detalhe duas aves, hoje extintas, representantes da micro-fauna que ocupou a região. Chama a atenção o geometrismo das formas usadas.
Cena de ritual com grande movimentação. Inúmeras figuras humanas dançam livremente, algumas agitam ramos, enquanto outras dançam ao redor de uma árvore.Figuras como essa são bastante comum nas paredes do parque. Chamada pelos especialistas de componente "emblemático", aparece freqüentemente nas pinturas, quase como um "logotipo" da tradição cultural nordeste, nome que se dá às características culturais dos grupos humanos que ocuparam a região por volta de 12 a 6 mil anos antes do presente.

Alunos retratando a arte Rupestre no caderno











A arte rupestre reproduzida em rochas trazidas pelos alunos












Bibliografia consultada:

Bello,Maristher Motta. Arte Ensino Fundamental.I, Curitiba: Posigraf, 2007.
http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=45
http://www.suapesquisa.com/artesliteratura/arterupestre/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Arte_rupestre
http://www.fumdham.org.br/pinturas.asp

sexta-feira, 5 de março de 2010

Pop Art - 9º ano


POP-ART


Movimento principalmente americano e britânico, sua denominação foi empregada pela primeira vez em 1954, pelo crítico inglês Lawrence Alloway, para designar os produtos da cultura popular da civilização ocidental, sobretudo os que eram provenientes dos Estados Unidos.